ERITEMA PIGMENTAR FIXO

Por adaptação de Dr. Leonardo Ferreira Bianquini - 13/02/2019

Eritema Pigmentar Fixo ou Erupção fixa: Recidiva sempre no mesmo local, ainda que novas lesões possam surgir simultaneamente em outras áreas.
Mancha de cor vermelho-azulada, redonda oval, com limites nítidos.
A lesão pode ser purpúrica, urticada ou bolhosa nas formas mais graves. Há prurido e sensação de queimação.
O eritema esmaece gradualmente, surgindo cor castanha por pigmentação melânica, que desaparece em algumas semanas.
Importante é a recidiva do quadro, no mesmo local, pela reexposição ao medicamento responsável.
A pigmentação pode se tornar permanente, com manchas aparecendo em outras áreas.
Ainda que possam surgir em qualquer região, palmas, plantas e mucosas são localizações frequentes.
A droga atue como hapteno, ligando-se aos queratinócitos e promovendo liberação de citocinas, entre elas TNF-a que determina superexpressão de ICAM1, a qual facilta a migração de linfócitos CD4+ e CD8+ para a área de lesão.
Mais frequentes: analgésicos-antipiréticos (dipirona, salicilatos, fenilbutazona), meprobamato, tetraciclinas, anovulatórios, barbitúricos, sulfas e fenolftaleína.
Antineoplásicas: dacarbazina, hidroxiureia, paclitaxel e procarbazina.
Algumas drogas parecem ter maior eletividade com determinadas topografias, tais como a sulfametoxazol-trimetoprima pela região genital, e oxicans e naproxeno pela região labial.
Não é necessário exame histopatológico
É a forma mais comum de erupção cutânea por drogas.
Por adaptação de Dr. Leonardo Ferreira Bianquini - 13/02/2019

OUTRAS DOENÇAS

TELEFONE
(27) 3211-0223
WHATSAPP
(11) 98350-8285
E-MAIL
cursos@fapecs.com.br
CURSOS CERTIFICADOS PELO INSTITUTO DE PESQUISA EM CIÊNCIAS DA SAÚDE -
2019 - FAPECS - TODOS OS DIREITOS RESERVADOS